Recife (PE), Brasil

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Saúde: Adultos de 30 a 39 anos também serão vacinados contra a gripe A

Adultos, de 30 a 39 anos, também vão receber a vacina contra a gripe influenza A (H1N1). A campanha de imunização começa no dia 8 de março, e inclui ainda profissionais de saúde da rede de atenção básica, e envolvidos na resposta à pandemia, indígenas, gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos, jovens de 20 a 29 anos e pessoas com doenças crônicas
(leia na íntegra)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Política: Como a mídia tenta enganar o povo brasileiro

Hoje amanheci matutando porque, ao anunciar que não renunciaria, Paulo Otávio, vice-governador do DF envolvido até a medula no esquema de corrupção da Operação Pandora, disse que assim o fazia seguindo conselho do presidente Lula, no que foi imediatamente desmentido por Lula e seus assessores.

Ao ler o artigo abaixo, o que se me apresentava como uma suspeita ficou claríssimo: há uma campanha orquestrada pela oposição e sua grande mídia para tentar vincular Lula a Arruda, transferindo assim o ônus do escândalo da aliança demo-tucana para os seus adversários.

Não é por acaso que a mídia truncou e distorceu a declaração de Lula de que a prisão de Arruda era um fato lamentável para a política brasileira, e é mesmo. Não a prisão em si, mais do que devida, mas por revelar a que ponto chegou a corrupção explícita e o consequente desprestígio da classe política.

Nem é por acaso que os aliados e participantes do butim agora vêm a público dizer que exigem a expulsão dos seus protegidos, como se não tivessem nada "com tudo isto que aí está".

Também não é por acaso que Paulo Otávio agiu de acordo com esta tática ao implorar por uma audiência reservada com Lula e depois sair colocando palavras na boca dele.

Nem tampouco é por acaso que, embora divulgando o desmentido do presidente, a mídia procura deixar no ar que "no entanto, não seria mesmo do interesse do governo federal a renúncia de Paulo Otávio, pelas implicações do fato".

Mas o texto abaixo, repassado por Fernando Arruda, disseca a questão com muito mais clareza e propriedade:

As bofetadas e o sorriso (por Eduardo Guimarães - Blog Cidadania.com)
Ao ver a insistência dos meios de comunicação aliados de José Serra de vincularem José Roberto Arruda a Lula e ao PT, chego a pensar que não se trata, apenas, de uma tentativa real de influir na política enganando o eleitorado, mas da intenção deliberada desse grupo político de meramente esbofetear seus adversários.

A insinuação dos jornais, revistas, tevês, rádios e portais de internet é a seguinte: podemos fazer tudo. Somos senhores da realidade. Podemos fazer com que a queda de Arruda, adversário político de Lula, seja vista como queda de um aliado do presidente e com que as pessoas vinculem o governador pefelê ao PT, invertendo essa prova que sobreveio de que os acusadores do partido e do presidente da República é que são os verdadeiros corruptos.

Esse conclave político-midiático considera a guerra psicológica uma espécie de componente do jogo político. Esbofetear aqueles que sabem que Arruda é um expoente da oposição a Lula, um aliado de José Serra que estava sendo anunciado há umas boas semanas como provável candidato a vice na chapa do tucano à Presidência, abalaria o moral dos petistas e do seu eleitorado.

A teoria da mídia não deixa de ter algum fundamento. Desde a prisão de Arruda, pelo menos aqui em São Paulo muita gente está criticando Lula pelo que aconteceu com o aliado de Serra. E não falo apenas de pessoas comuns que se põem a mentir deliberadamente por não gostarem de Lula, do PT e, agora, também de Dilma. Falo de pessoas sem maior politização.

Vocês sabem por que o PFL mudou seu nome para “Democratas”? Porque o partido estava muito desgastado com seus constantes escândalos e, assim, precisava enganar o eleitorado, aparecendo como uma nova força política “na praça”. E deu certo. Um partido que já era visto como símbolo da corrupção (o PFL) conseguiu eleger o prefeito da maior cidade do país e o governador da capital da República.

Querem se assustar mais? Tem muita, mas muita gente que não sabe que o Democratas é o PFL, assim como há muita gente que pensa que Serra é o candidato de Lula à Presidência, assim como, agora, também há muita gente que pensa que Arruda era aliado do presidente da República.

Como funciona isso? Ora, vá aos blogs do Noblat, do Josias de Souza, do Reinaldo Azevedo, por exemplo; ou aos portais UOL, G1, IG, Terra; ou à Globo, ao SBT, à Band, à RedeTV!, à TV Gazeta, à TV Cultura, à CBN, à Eldorado; ou à Folha de São Paulo, ao Estadão, à Veja; enfim, vá à grande mídia e verá cobranças a Lula por conta de Arruda. Claramente. Como se fosse a coisa mais natural do mundo cobrar um político pelas estripulias de seus adversários.

Como fizeram isso? Distorceram declarações do presidente como a de que não seriam as imagens da corrupção de Arruda que o condenariam, mas, sim, o devido processo legal, ou de que é lamentável, para a classe política, o que aconteceu com o governador de Brasília, obviamente que não devido à queda de um inimigo político de Lula ser ruim para ele, mas porque desmoraliza ainda mais a classe política junto à sociedade.

Mas será que esses meios de comunicação, será que esses jornalistas que mencionei acham que podem fazer o país pensar que Arruda é problema de Lula? Será o conjunto do povo tão estúpido assim?

Não é preciso pensar muito para responder que é claro que não, que só uma parte da sociedade é assim tão mal informada, tão ignorante sobre política – e sobre tudo, pois quem cai num golpe desses não sabe nem onde tem o nariz. Contudo, é justamente esta parcela da sociedade que é o alvo. E não é uma parcela muito pequena, há que dizer.

O que essa mídia pretende, pois, é que essa parcela canalha dos brasileiros que acusa, de forma consciente e proposital, quem jamais foi flagrado como foi o grupo político de Serra e Arruda, junte-se àqueles inocentes úteis que não têm a menor noção do que está acontecendo no país e que, assim, compram a mentira de que Lula tem algo que ver com o governador caído de Brasília.

Mas, também, essa gente aproveita para infligir um sofrimento psicológico aos seus adversários inundando a mídia com uma mentira absurda sem que estes tenham como reagir à altura sem levantar um enorme debate que não ficaria bem os alvos dessa farsa enfrentarem, pois pareceria que têm culpa no cartório.

Eis a bofetada que levam os homens e mulheres decentes e conscientes desta nação. É nesta hora, porém, que, apesar da indignação, temos que manter a serenidade e a confiança no povo brasileiro, na verdade e na justiça. Mais do que nunca, as vítimas dessas hienas temos que ter em mente o sábio dito popular que reza que “Quem ri por último, ri melhor”.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Imagens: O Corcovado antes do Cristo

Repasso estas imagens espetaculares, repassadas por minha filha, Luísa:

Você sabe como era o Corcovado antes do Cristo?


Fotos raras do Corcovado antes do Cristo Redentor. Chamava-se Mirante Chapéu do Sol. Foi construído, inicialmente em madeira, no ano de 1885 (para ampliar as fotos, clique nas imagens).




Economia: A Classe C vai ao paraíso

Pois é, apesar de muita gente não querer enxergar, o Brasil está mudando rapidamente.
Sempre ouvimos falar que o Brasil é uma pirâmide invertida, onde os poucos que estão no topo respondem pela quase totalidade da riqueza, enquanto a esmagadora maioria, que está na base, nada ou quase nada têm.
Eis que agora foi divulgado um estudo que mostra que a nova classe dominante é a classe C, a popular classe média... acredite se quiser!
Esta classe agora representa a maior parte da população brasileira, graças à ascenção sem precedente de pessoas das classes mais baixas, inclusive com a grande redução da miséria extrema.

Segue o resumo da matéria:

A CLASSE C VAI AO PARAÍSO

Os resultados estão aí, brotando do fundo da sociedade brasileira: entre 2003 e 2005, 27 milhões de pessoas mudaram de patamar social no Brasil, ascendendo para uma condição social superior, mais digna e mais humana. Também a desigualdade regional foi atacada e recuou nos últimos cinco anos. O Nordeste cresceu a um ritmo “chinês” atingindo 7.7% ao ano. Mesmo sofrendo os efeitos da crise, o país foi capaz de oferecer oportunidades e esperança de vida melhor para 91 milhões de brasileiros.


O artigo é de Francisco Carlos Teixeira.

> Leia a Matéria na íntegra em Carta Maior.

Seu Direito: Reclamações sobre serviços

E o Carnaval chegou ao fim. Devo dizer que me surpreendi este ano com a tranquilidade com que transcorreram os festejos. Não presenciei um incidente sequer em minhas andanças pelo Recife Antigo, por Olinda e até pelo bairro suburbano de Casa Amarela. Foi um carnaval de muita alegria, irreverência e paz.
Certamente alguns incidentes devem ter ocorrido, mas nada que deixasse transparecer, de uma forma geral, qualquer clima de insegurança ou de violência.
Já está até se falando em ampliar a festa no ano que vem em função dos bons resultados deste ano.
Pernambuco e os pernambucanos estão de parabéns!

Bem, voltando à rotina e à vida real, aproveito para divulgar esta informação, repassada por Márcio Estrela, que considerando bastante útil para todos nós, consumidores:

SAC - Como foi seu atendimento?


Os fornecedores de serviços regulados pelo Poder Público Federal estão submetidos ao Decreto Nº 6.523/08, que regulamenta o serviço de atendimento ao consumidor – SAC.


O objetivo do relato que você registrará será o monitoramento das empresas sujeitas ao Decreto do SAC e poderá ser utilizado para ações de fiscalização e outras medidas do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC). Caso você tenha interesse em apresentar uma reclamação, procure diretamente um dos órgãos do SNDC (Procons, Defensorias, Ministérios Públicos e Entidades Civis).

O seu relato poderá ser feito em relação aos seguintes segmentos:

- Banco Comercial
- Cartão de Crédito
- Energia Elétrica
- Financeiras
- Plano de Saúde
- Seguradoras
- Telefonia Celular
- Telefonia Fixa
- Transporte Aéreo
- Transporte Terrestre
- TV por Assinatura

Se você ligou para uma empresa e teve problemas, clique aqui.

Adendo do Blog: Para reclamações relativas a serviços bancários, financeiros e consórcios, você pode também registrar sua reclamação junto ao Banco Central, pelo telefone 0800-979-2345, pela internet ou dirigindo-se a uma das representações regionais do BC.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Como comentar no blog e como ser informado das atualizações

Amigos,

Tenho recebido algumas mensagens de leitores do blog, informando que não conseguem inserir comentários sobre as matérias postadas.

Por isso, informo que, para comentar no blog, é necessário selecionar uma das opções de “Comentar como”. As opções mais comuns são:
- Anônimo (neste caso identifique-se ao fim do comentário);
- Conta do Google (neste caso é preciso primeiro fazer login no blog com a conta do Google, se você a tiver, clicando em login, no canto superior direito da página); ou
- Nome/URL (neste caso, coloque seu nome e o endereço de sua página internet, se tiver).

Informo ainda que estou divulgando as atualizações por meio de uma lista de mensagens que criei exclusivamente para este fim.
Entretanto, como vários amigos têm me informado que não tem recebido as mensagens da lista, embora estejam cadastrados nela, informo que as atualizações também são notificadas automaticamente aos assinantes do blog.
Para assinar as postagens, basta clicar no link "Assinar Postagens (Atom)" no rodapé da página do blog.

Grande abraço.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Seu Dinheiro: A nova cara do Real

Fonte: Boletim Conexão Real - Banco Central do Brasil

Após quase 16 anos de existência, o real sofrerá mudanças significativas a partir deste ano. O Banco Central, em parceria com a Casa da Moeda do Brasil (CMB), desenvolveu a segunda família de cédulas da moeda, que entrou em circulação em julho de 1994. O presidente Henrique Meirelles anuncia a novidade nesta quarta-feira 3/2, no Ministério da Fazenda, ao lado do ministro Guido Mantega.

O principal objetivo do BC é impor obstáculos mais sólidos às tentativas de falsificação do Real. A ação é preventiva, já que o crime tem sido controlado. Para aprimorar a segurança do dinheiro nacional, as cédulas contarão com novos recursos gráficos e elementos que dificultem o trabalho de falsários.

Tais inovações serão de extrema importância para a população, especialmente para os portadores de deficiência visual, que poderão diferenciar as notas com mais facilidade.

Clique nas imagens para ampliar:

 
"Essa nova etapa do real consolida os ganhos e avanços econômicos do país, construídos, ao longo dos anos, do ponto de vista da estabilidade, das reservas e do Sistema Financeiro Nacional. Todo esse conjunto de conquistas, que o Banco Central ajudou a construir e que pertence a toda a sociedade, está sendo coroado com as novas cédulas do real." (Anthero Meirelles, diretor de Administração)

Quanto mais alto o valor, maior a cédula:

Dinheiro fabricado por equipamento de ponta

O projeto da segunda família do real começou a ser desenvolvido em 2003. Mas, para produzir as novas cédulas, a Casa da Moeda do Brasil (CMB) precisou modernizar seu parque fabril. Em 2008, foram adquiridos equipamentos de última geração na área de impressão de segurança. As máquinas se encontram em processo de instalação e de testes e estarão prontas para a produção ainda no primeiro semestre deste ano. Com as aquisições, a CMB se equipara às empresas mais modernas do ramo de impressão de segurança e se torna apta, novamente, a oferecer seus serviços a outros países.

4,2 bilhões

Essa é a quantidade de cédulas do real atualmente em circulação e que serão substituídas, aos poucos, pela segunda família de notas.

Notas de R$50 e R$100 serão as primeiras a circular

As primeiras cédulas a chegar às mãos dos brasileiros serão as de R$50 e de R$100, ainda neste ano. Por serem os maiores valores em circulação, demandam maior segurança contra falsificações – mais de 90% das notas falsas apreendidas no BC pertencem às duas denominações. Em seguida, com previsão para o primeiro semestre de 2011, entram em circulação as novas cédulas de R$10 e de R$20. Já as de R$2 e de R$5 chegam às ruas no primeiro semestre de 2012. A substituição será feita aos poucos, à medida que as notas atuais forem retiradas em decorrência do desgaste natural.

Prevenir falsificação é responsabilidade social

O volume de falsificações no Brasil não chega a representar ameaça séria à economia nacional, pois tem diminuído gradualmente desde 2008 (ver gráfico). Mas a ação do BC, ao prevenir o país contra a ação dos falsários por meio da inserção de novos mecanismos de segurança nas cédulas, é questão de responsabilidade social. O cidadão comum que recebe uma nota falsa corre o risco de sofrer prejuízo significativo em seu orçamento. Portanto, nada melhor que poder verificar com segurança a autenticidade do próprio dinheiro.


A moeda que veio para ficar


Nos anos anteriores ao real, o Brasil vivia um ambiente de hiperinflação. No momento mais grave desse período, os preços subiam em torno de 1,5% ao dia. As pessoas recebiam o salário e corriam para as compras. De 1986 a 1994, o país teve seis padrões monetários. E o foco da produção das cédulas era voltado apenas para suprir a demanda por grandes volumes. A mudança para o real, em 1994, não foi instantânea. O país necessitava ser abastecido com numerário suficiente para atender à demanda. O papel do BC foi importante, pois o Mecir administrou a troca da moeda com três fluxos distintos: distribuição da recém-criada, acolhimento de depósitos e recolhimento do antigo padrão. O real revolucionou o cenário econômico nacional e controlou a inflação, o que permitiu uma nova era de estabilidade de preços.

Para melhor vizualização, configure seu monitor para 1024x768 pixels. Para monitores widescreen, sugerimos a vizualização em 1440x900 pixels.

EUA: o melhor Congresso que o dinheiro pode comprar

Pra quem vive se queixando do atraso do Brasil e se lamentando porque não somos um paraíso da lei e da democracia como os EUA, taí uma prova de que os sistemas jurídico e eleitoral deles não é essa coca-cola toda não.

Fonte: Agência Carta Maior:

EUA: o melhor Congresso que o dinheiro pode comprar

A decisão radical da Suprema Corte dos Estados Unidos, em 21 de janeiro deste ano, permite às companhias gastarem dinheiro ilimitadamente na política. Anulando 100 anos de restrições aos gastos corporativos, os dois juizes mais novos, John Roberts e Samuel Alito, indicados pelo Presidente George W. Bush, tornaram a Suprema Corte um aliado das grandes corporações. Os insípidos debates em Davos sobre a questão capitalismo versus socialismo foram suplantados pela conquista da democracia das corporações.O artigo é de Hazel Henderson.

> LEIA MAIS CLICANDO AQUI.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Mídia: Como viver a vida, segundo a Globo

Do Blog Administre-se, da Você S/A (Repassado por Fernando Arruda):

É fato: as novelas da Globo e seus programas de grande audiência continuam ditando normas, valores e costumes. Volta e meia ouvimos alguém soltar famosos bordões como “hare baba”, “tô certo ou tô errado?”, “né brinquedo não”, “ishalá”, e outros consagrados pelos folhetins globais.


Antes que alguém levante a mão para perguntar, esse texto tem, sim, muito a ver com Administração. Qualquer evento que influencie, direta ou indiretamente, o nosso comportamento é extremamente importante para a forma como conduzimos os nossos negócios. Não é à toa que os grandes anunciantes disputam a peso de ouro o horário nobre da televisão brasileira – bem como os próprios atores. Da mesma forma, as grifes (re)direcionam suas coleções aos estilos exibidos pelas belas e influentes atrizes das novelas, mesmo que essas se passem em lugares exóticos como Índia e Marrocos, ou genuinamente brasileiros como Barretos, Rio e São Paulo. Até pouco tempo atrás, muitas moças estavam usando parte do sutiã à mostra, para imitar o modelito de Norminha, a simpática – e faceira – personagem interpretada recentemente por Dira Paes. Novelas ditam modas e, como administradores, devemos estar atentos.

Espanta-me essa última, que traz o curioso título de “Viver a Vida”. Apesar de apresentar depoimentos emocionantes de pessoas reais que superaram grandes problemas no final dos episódios, Viver a Vida dá um show de deturpação de valores do começo ao fim de cada capítulo (grifos do Blog do Edilson).

Normalmente, as obras de ficção dividem claramente as pessoas entre boas e más, o certo e o errado são evidentes, e nos colocamos a torcer pelo sucesso do protagonista e o castigo dos vilões, como o fizemos em A Favorita, com o duelo entre Donatela e Flora.

Na novela de Manoel Carlos, esse dualismo não existe. Com a desculpa de aproximar seus personagens da realidade, o autor lhes confere virtudes e defeitos. Entretanto, paira um ar de normalidade sobre todas as safadezas cometidas pelos personagens, que eu chego a me perguntar o que ele quer dizer, realmente, com “viver a vida”.

Viver a Vida é uma novela onde praticamente todos os personagens enganam uns aos outros. O marido trai a esposa com a prima dela, a esposa trai o marido com o cara da academia, o outro troca a companheira de uma vida inteira por uma modelo 30 anos mais jovem , que agora já vive um affair com o sujeito que conheceu no meio do deserto (que corre o risco de ser filho de seu próprio marido), irmãos (gêmeos!) disputam a mesma garota… ufa! E tem muito mais, mas não quero tirar a paciência do leitor com essas picuinhas.

Onde mora o perigo?

Diversos estudos, em especial os conduzidos pelo Prof. Robert B. Cialdini, da Arizona State University, demonstram que temos uma grande tendência a fazer o que a maioria faz – mesmo que seja um comportamento socialmente indesejável. Segundo Cialdini, somos naturalmente maria-vai-com-as-outras*.

Manoel Carlos gasta o seu latim para provar que trair é algo normal, que todo mundo trai todo mundo e não há nada reprovável nisso. Pelo contrário: é até algo bonito, poético. As puladas de cerca ocorrem sempre com o belíssimo pano de fundo da cidade maravilhosa ao entardecer, do alto de uma asa delta, ou nas areias paradisíacas de Búzios, ao som de uma belíssima trilha sonora. Sei lá, sei lá…

Há algum tempo, havia em minha cidade um jornalzinho que circulava entre os colégios, cuja maior atração eram os recadinhos que os alunos postavam uns para os outros. Depois que Aline Moraes interpretou uma jovem lésbica em uma novela, houve uma explosão de recados (românticos) de garotas para garotas. Não estou fazendo juízo de valor no que diz respeito às escolhas sexuais de ninguém. Entretanto, desconfio que muitos desses recados não tinham nada a ver com a sexualidade dessas garotas. Elas apenas queriam ser a Aline Moraes… Imagino que, se a personagem da bela atriz fosse interpretada por Regina Casé, o efeito no jornal teria sido nulo ou completamente inverso.

Mesmo sabendo que o comportamento é uma potente fonte de influência social, geralmente as pessoas que participam de estudos de psicologia social dizem com veemência que o comportamento alheio não influencia o seu próprio. Você aí do outro lado também deve estar dizendo que isso é uma grande besteira, que você não é influenciado por novelas, nem por ninguém. Beleza. Mas, com certeza, você conhece um monte de gente que adora seguir a maioria.

O perigo está na mensagem, repetida diariamente à exaustão, justamente no horário em que a maioria dos televisores sintoniza a rede do plim-plim. Muita gente assimila o comportamento dos personagens como adequado, moderno e normal. A novela de Manoel Carlos é a receita para o fracasso de uma sociedade que tem (ou já teve?) na família o seu mais firme alicerce. Viver a vida, de verdade, é muito mais do que isso. Tô certo ou tô errado?

Leituras recomendadas:

* Não deixe de ler o brilhante artigo de Rodolfo Araújo onde ele explora o Princípio da Aceitação Social: “(…) todo mundo gosta de se sentir integrado à sua comunidade, ou de pertencer a algum grupo. Suas atitudes deverão, sempre que possível, refletir esse sentimento e essa necessidade“.

** Leia também o livro Família Acima de Tudo, onde Stephen Kanitz fala sobre a importância da família.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Qual o melhor carnaval do Brasil?

Olá gente,


O portal TERRA lançou uma enquete sobre o lugar que possui o melhor carnaval do Brasil. E espertamente colocaram Recife e Olinda separadamente e no fim da lista, certamente para dividir os fãs de nosso Carnaval e dar mais chances aos outros concorrentes. Mesmo assim, a estratégia parece não estar funcionando, pois Recife está liderando, seguido por Olinda.

Vamos garantir a vitória do carnaval verdadeiramente belo, espontâneo, culturalmente rico, popular e sem apartheid social, votando em Recife e Olinda. Para acessar a enquete cliquem no link abaixo:

http://diversao.terra.com.br/carnaval/2010/#poll (a enquete está no final da página, do lado direito).

Repassem para amigos e conhecidos!

Política: Conexões entre Serra e Arruda são investigadas


Já há algumas semanas venho alertando que duas investigações em andamento – a Operação Castelo de Areia e o caso José Roberto Arruda – estão batendo direto no sistema de financiamento de campanha do governador José Serra. É o dado novo ainda não devidamente avaliado pelos especialistas em eleições.

Não é nada trivial. Não se trata de denúncias de oposição, de suspeitas, mas de investigações policiais calcada em provas, depoimentos de testemunhas, documentos. (grifos do Blog do Edilson)

Esta semana, matéria da Carta Capital aponta um novo operador de José Roberto Arruda, diretamente ligado ao governador José Serra. Antes de Arruda, o operador atuou diretamente na montagem do sistema de terceirização da saúde em São Paulo. Há tempos pessoas do setor tinham me dito que o modelo era a reedição dos esquemas pesados do PAS, da gestão Paulo Maluf.

Destaque para os seguintes pontos da matéria da revista:

1. Ailton de Lima Ribeiro, homem de confiança de Serra, foi um dos responsáveis pela implantação do modelo de terceirização da saúde em São Paulo.

2. Na semana passada, o prefeito Kassab anulou um contrato milionário, sem licitação, entre a Secretaria da Saúde do município. Um dos sócios da empresa sob suspeita é o próprio Aílton.

3. Desde março de 2009, Ailton trabalha com Arruda no Distrito Federal. Segundo oposicionistas de São Paulo, Ailton teria sido o principal responsável pela contratação, em São Paulo, das mesmas empresas de informática que integram o esquema de Arruda, em Brasilia.

4. Como se recorda, ontem a revista Época trouxe informações de que a Operação Castelos de Areia flagrou um dos principais operadores do PSDB, ligado diretamente a Andrea Matarazzo, quando este presidiu a CESP. Detalhe: hoje, o operador preside o DER, responsável pelas obras do Rodoanel.